quinta-feira, 18 de março de 2010

terça-feira, 2 de março de 2010

Tempo Esgotado



"Vim só dar despedida..."


Últimas são as palavras que aqui escrevo.
 
Depois de, sei lá, três anos, há um bom momento para anestesiar este espaço. Digo, deixá-lo de molho, ao menos (preventivamente, mantenho as portas abertas à minha inconstância). Se há algum tempo eu já pensava em mudar de ares, em me lançar a um outro lugar que seja, apesar de semelhante a este, novo, dias atrás ganhei um grande motivo para levar adiante meus quase-anseios.
 
Recebi, como presente de minha namorada, um livro escrito por mim mesmo, mas que provavelmente nunca alcançaria o papel. Todos os textos desse blog, exceto este e o último, foram reunidos por ela, editados e impressos em uma publicação homônima ("Tempo Seu"). Ali está registrado tudo o que desenhamos por aqui: meus textos, as imagens selecionadas, e todos os comentários não deletados pelos autores.

É um grande compêndio de minhas emoções literárias, de minha mediocridade adolescente que vislumbrou uma mediocridade madura, quase transparente. Sou eu, em épocas distintas e com sensações mais distintas ainda, mas, essencialmente, eu. Todas as ressalvas, todas as expectativas por comentários, todas as vontades de excluir tudo e gritar ao mundo minha incompreensão, todos os textos que não foram escritos, todos os que permaneceram eternamente em rascunho, todos os enganos.
 
Tenho, afinal, meu nome em minha prateleira.
 
Sarah, com a imprescindível ajuda de alguns amigos, deu-me a chance de sair em um bom momento. O congelamento do "Tempo Seu" é, no final das contas, uma tentativa de homenagem a ela que, cautelosa, deixou algumas páginas em branco no final do livro para que eu as completasse com os novos textos. Tais páginas serão devidamente preenchidas por mim (tomara que "por nós"!) e irão marcar essa miragem de ponto final.
 
Em breve divulgarei (aqui e por email) o endereço de um novo blog que penso em criar e que, por enquanto, só tem nome (talvez provisório): "TEXTANDO". Será minha tentativa de tornar texto, como teste, tudo aquilo que me faz pulsar.
 
A todos vocês, meus mais carinhosos abraços,
e minha insuficiente gratidão.
 
Noubar Sarkissian Junior


_______________________________________________


P.S.: o endereço continuará ativo, mas não devo mais promover atualizações. Continuarei recebendo notificações de comentários por email.